Carta n° 1, de Carmélia para Amaro

sábado, maio 29, 2010

Créditos: We♥it

Querido Amaro,
 Espero que ao ler esta carta estejas bem em seu confortável quarto, tomando um pouco de café ao som de alguma música, como sempre fazes todas as noites.

Sei que deves ter ficado um tanto quanto surpreso ao ver isto em sua cama. Antes que se aborreças comigo, tenho que lhe dizer que não foi eu quem à colocou e sim a adorável senhorinha dona da casa em que estais hospedado. Ela que me ouviu com todo o carinho e entendeu nossa história se ofereceu à lhe entregar. Confesso que se fosse eu a coloca-la, ficaria esperando por ti sentada talvez, em uma poltrona no canto do quarto. Mas privei-me de tal ato, apenas pelo fato que infelizmente eu não fosse bem vinda.

Não irei aborrecer-te com rodeios e te direi logo o motivo desta carta... A verdade é que sinto sua falta! Sinto falta de ti com toda a minha alma, a saudade dos nossos corpos unidos pelo abraço caloroso que dávamos sempre ao nos encontrar é grande. O senhor com certeza não deve sentir minha falta, pois foi tu quem decidiu se afastar e com isso apagar nossas lembranças como se nada houvesse acontecido. Eu bem sei que ficas agindo com indiferença quando nos encontramos, e que não se importas com nada que me acontece. Acho que por ti eu poderia morrer e não darias a mínima, não derramarias se quer uma lágrima pela minha partida. Tenho que admitir que mudaste completamente, não é mais aquele homem que um dia conheci e pelo qual me apaixonei. Hoje digo com toda a certeza, que mudaste da água para o vinho!

Apesar do enorme penhasco que colocaste entre mim e ti, ainda te amo! Parece que esse sentimento só veio a aumentar, mesmo depois de tudo o que me falaste e das privações que me puseste em relação a ti. É infelizmente essa é a verdade, ainda te amo, ao contrário de ti que já deve ter "outras" em mente e no coração.

Meu querido Amaro, o que achas que devo fazer? Sei que não há mais nada entre nós mas por favor me responda, me ajude a superar isto. Sei que essas perguntas não deveriam ser feitas a ti, porém tu sabes que ao me mudar contigo para está cidade, deixei para trás amigos e familiares que neste momento não sabem nada sobre o que estou passando e nem quero que saibam. Me diga, o que fazer, como te esquecer, mas só não me peças para me afastar mais de ti porque não aguentaria tal pedido. Não acredito que o amor que tinhas por mim acabou tão rápido, as vezes penso que realmente nunca me amaste. Mas prefiro pensar que ainda sentes algo por mim e que também sofres por tal abismo que puseste em um ato de fúria entre nós.

Se ainda estás lendo, por favor me procure para que possamos conversar e nos entender. Porque lamento - ou felicito - lhe dizer que não ficarei aqui por muito tempo, logo estarei terminando os estudos e voltarei para casa. Então por favor me responda.
Aguardarei por você...
Da sempre sua Carmélia.

Você também vai gostar

1 Comentários

Seguidores