Sobre a luz do luar

quarta-feira, setembro 18, 2013


Eu estava no terceiro ano, quando num dia comum, resolvi sair mais cedo, sozinha, dar uma volta na praça e pegar um ar. Deitei na grama e fiquei a observar o céu, ele estava numa cor azul escuro, mas com muitas estrelas, a lua estava bem grande e bem amarelinha, e eu me pus a pensar. Pensei na vida, nos meus estudos e no meu futuro, até que eu vi você, sentado perto do poste, lendo alguma coisa que não dava pra saber deitada daquela jeito, com uma blusa listrada e tomando milk shake. Você levantou a cabeça e olhou pra frente. De repente seus olhos estavam dentro dos meus, abaixei a vista e quando levantei você já estava concentrado no seu livro novamente. Voltei para meus pensamentos fechei os olhos e me concentrei, quando os abro novamente, qual susto não foi o meu, lá estava você sentado bem ao meu lado. Levantei e começamos a conversar, marcamos um encontro no mesmo horário no dia seguinte e seguimos cada um pro seu lado.

No outro dia no horário marcado lá estávamos nós, conversamos sobre tudo, gostos, desgostos, hob’s e desamores. Você disse que eu tinha olhos lindos e eu fiquei vermelha como um pimentão. Tivemos esses encontros noturnos quase todos os dias durante três semanas, até que exatamente no último dia do mês, você chegou com uma flor na mão, sentou ao meu lado e disse “Por favor não diga nada até eu terminar, eu gosto de você, tipo gosto muito, você é diferente de todas as outras que conheci, você é doce e ao mesmo sem frescura nenhuma, tem uma voz incrível e um dom de me deixar sorrindo vinte e quatro horas por dia, sem contar no seu sorriso, ahhh! Esse sorriso faz meus dias mais felizes, eu espero não estar te assustando mas eu tenho uma pergunta pra você. Você me daria a honra de ser seu namorado?” Nesse momento a única coisa que consegui foi sorrir e balançar a cabeça positivamente, ele chegou junto de mim e me beijou, sem dúvida o melhor beijo da minha vida, quando paramos ficamos um tempo abraçados e sorrimos. Dias, semanas, meses se passaram mas a sensação de alegria em mim só aumentava, ele me fazia feliz e até onde eu sei, eu também o fazia.

Quatro anos depois desse dia, na mesma praça sobre as mesmas estrelas e luar, ele me pediu em casamento, num cenário mais do que lindo, pétalas vermelhas no chão formando um coração e ele no meio ajoelhado, disse as palavras mais doces do mundo e me beijou.

Hoje depois de quase cinco anos de casamento, acho incrível a forma como ele ainda me olha, com o mesmo olhar do dia do pedido de namoro, ele era sem dúvida apaixonado por mim, e saber disso, sentir isso, me dava uma alegria que eu mesma não sabia que poderia ter, ele me faz bem, cuida de mim e me entende por completa, eu agradeço muito a Deus por te-lo encontrado, mas meu agradecimento maior sempre foi para a lua e as estrelas, pois foi através de sua vasta beleza que eu vi. E a coisa mais linda nisso tudo é que a todo aniversário de casamento fazemos um piquenique na mesma grama e renovamos nosso votos com a lua de testemunha.

Você também vai gostar

1 Comentários

  1. Nossa que bonito. Um amor duradouro, sincero e fiel é algo muito dificil. Hoje em dia tudo é muito fácil de quebrar, é mais prático um novo relacionamento do que manter o mesmo.
    Obrigada pela inspiração de vida!

    ResponderExcluir

Seguidores