Sobre finais trágicos

segunda-feira, novembro 09, 2015


É inacreditável como as pessoas podem ser tão duras com outras em relação aos sentimentos. Digo, dizer palavras de ódio para machucar alguém que um dia você disse amar não é algo que possamos fazer com orgulho, é vergonhoso até. Há pessoas que encaram essa prática como algo normal, natural por fazer parte do fim de um ciclo e até para se ver logo livre da outra pessoa, mas digo, de natural e normal isso não tem nada. 

Não é natural e normal você tratar com desprezo e arrogância alguém que você ousou dizer amar há uns dois meses atrás ou que teve uma história juntos de longas datas. Há relacionamentos que podem sim, simplesmente acabar sem que haja a necessidade de dizer palavras que machuquem, que faça você parecer o carrasco por proferir e o outro vítima por ouvir. Relacionamentos podem sim terminar em paz.

Geralmente é assim: o que disse, é o que possui a consciência mais limpa e tranquila, continua seguir a vida como se nada tivesse acontecido e já engata outro relacionamento sem nem pensar duas vezes, e geralmente, saí como o vencedor. O outro, aquele que ouviu, fica então em um estado de devaneio, digo devaneio porque a única coisa que ele consegue fazer é reprisar mentalmente todas as palavras e acontecimentos numa tentativa de entender o motivo daquilo tudo, tentando ver onde foi que errou por merecer tamanhas palavras de desprezo e lembrando que há dois meses atrás as coisas eram bem diferentes. 

E os diálogos sempre serão assim: o vencedor sempre falará arrogante e sem um mínimo de paciência, sempre tentará fazer você se sentir a pior das pessoas, o motivo pelo relacionamento não ter dado certo, o louco da história e cheio de problemas é unicamente você. Certo? Certo nada, um relacionamento precisa de duas pessoas e ambas são culpadas por não terem dado certo, cada um terá sua parcela de culpa e não importa o tamanho, só não é justo a culpa cair apenas em um dos dois. Agora vamos a vítima, ela por sua vez tentará manter uma conversa calma, sem grosseria, tentando arrumar uma paz em algo tão turbulento, tentará assumir todos os erros, admitirá toda a culpa só para si na tentativa de que algo possa mudar, se achará a pior pessoa do mundo. Certo? Certo nada querido, como falei, você não foi o único que errou - pode até ter errado muito feio- mas não é motivo de tamanha culpa, pois lembrando "ambos possuem culpa no cartório", então não é nada justo que você fique aí se lastimando, se achando a pior das pessoas por causa de alguém que não teve a capacidade e a decência de lhe tratar humanamente após um fim do relacionamento. 

É extremamente complicado o fim, alguns finais são tão dolorosos que o afastamento é a melhor coisa a se fazer, outros ainda conseguem manter contato e na melhor das hipóteses se tornam meio que amigos, mas nada, digo, n-a-d-a, justifica terminar um relacionamento com palavras duras e grosseiras. 

Que cada um vá viver sua vida, mas termine aquilo em que um dia houve tanto amor e cumplicidade da melhor forma. Não vá querer sair por cima e machucar os sentimentos do outro apenas para aumentar o seu ego, e também não aceite ser a vítima de algo que você não teve culpa sozinha, não deixe sua autoestima arrasada, você merece palavras de amor e não de rancor. 

Que o fim dos relacionamentos sejam então de paz e amor, e não cheios de rancor e magoas. Porque o que realmente importa foram os sentimentos bons que um dia existiu entre ambos enquanto estavam juntos. O que realmente importa é que um dia ambos se amaram à sua maneira, mas se amaram.

Você também vai gostar

1 Comentários

  1. Também concordo que devia ser dessa forma, porque se alguém já foi importante pra você e nada grave aconteceu, não há motivo pra acabar de uma forma horrível, né?
    Mas sei lá o que acontece com as pessoas, porque não é isso que eu vejo. =/
    Beijo

    ResponderExcluir

Seguidores