Um dia de chuva

domingo, fevereiro 20, 2011

Créditos: We♥it
Chovia há algum tempo. Sentada a beira da cama, olhava as gotas da chuva baterem com intensidade o vidro da janela, fazendo-a embaçar. Tudo perfeito, pleno sábado, chovendo, os pássaros agitados - felizes - pelo fato do clima ter mudado e acabado com aquele calor insuportável, na qual eu também compartia. 

Distraída entre devaneios, o que eu mais temia aconteceu. Elas surgiram... aquelas malditas lembranças pelas quais eu jurava não ter que recorda-las novamente. Logo agora, quando eu já me sentia feliz - livre - elas voltam. Acho que só para mostrar que sempre estarão escondidas em algum lugar no meio de tantas que tenho. Quando dei por mim, já estava com meus olhos cheios de lágrimas.

Sem pensar muito, decidi que ficar em casa - naquele quarto e tendo como companhia lembranças me atormentando - não daria certo. Terminar o dia com os olhos inchados de tanto chorar não estava entre os meus planos para aquele sábado. Decidi então parar para decifrar o que estava sentindo e o porque de logo agora - após tanto tempo - ter recordado do passado.

Cheguei a conclusão que pode passar o tempo que for, essas lembranças sempre me farão sentir alguma dor de saudade ou arrependimento talvez, mas sentirei algo que me fará chorar de alegria ou tristeza e será inevitável tentar fugir. A dor que eu estava sentindo se chamava saudade e que a chuva - o frio - me fazia lembrar de você. E que lembrando de ti, era o mesmo que lembrar - eu e você - de uma rotina que compartimos durante quase seis meses. Sim, eu sei, pouco tempo mas foram meses vividos dos quais fizemos coisas que jamais pensaríamos em  fazer, uma época em que choramos e rimos juntos. E que faz falta. Me pergunto se somente eu sinto isso.

Hoje, cada um tomou um rumo tão diferente... mal nos falamos agora. Se procuro saber se você está "vivo", te encontro sempre ocupado, sem tempo para conversas. O trabalho, teus amigos, teus divertimentos e prazeres banais te fizeram ficar um homem tão sem tempo, sem tempo para mim. Logo eu, que já fui protagonista do teu livro. Mas não importa, só em te ver ocupado já basta, pois sei que deves estar feliz e bem. Isso me conforta.
(Escrito em 24/10/2010)

Você também vai gostar

0 Comentários

Seguidores