Quando resolvi me amar

by - quinta-feira, junho 16, 2016


Sempre tive problemas para me aceitar. Não gostava do meu corpo, me olhava no espelho e simplesmente não me agradava com o que via refletido, me sentia feia, gorda (mesmo as pessoas dizendo que eu estava magra), a minha autoestima sempre esteva muito baixa. 

Mas sabe o que era pior? Eu dava ouvidos para as opiniões (não solicitadas) das pessoas que estavam ao meu redor. Me colocavam pra baixo falando, "alisa teu cabelo, você fica mais bonita de cabelo liso", "menina novinha não usa botam escuro e nem pinta as unhas de cores escuras" (ouvi isso durante minha adolescência inteira mas mainha nunca reclamou!), "como você está magra, come mais, entra numa academia para pegar músculos", "se veste direito para ir para a faculdade", "solta esse cabelo"... e mais uma infinidade de críticas disfarçadas de sugestões.

É verdade que dei ouvidos para algumas das "sugestões" e me sentia bem, momentaneamente, depois a bad feelings vinha e a autoestima estava no chão novamente. Passei da minha adolescência até alguns anos atrás ouvindo e me importando com o que os outros falavam da minha aparência, do meu corpo. Porém, foi a partir de 2014 que minha vida mudou completamente. De lá pra cá, mudei certas atitudes, deixei de dar bola para opiniões que nada me acrescentavam, passei a me aceitar e a me amar, o que era o mais importante. 

Hoje amo os meu cachos  mas quando me dá na telha dou uma escova e os deixo lisos, uso a roupa que gosto e me sinto confortável, uso batom vermelho e de cores mais escuras, pinto minhas unhas de preto quando estou afim, sou magra com umas gordurinhas localizadas e não gosto de academia (mesmo tendo dito várias vezes que queria fazer, mas por questão de saúde e não por corpo), uso salto quando estou afim e não sou obrigada a nada. E hoje estou muito feliz, obrigada.

"Outras pessoas sempre deixarão você para baixo. Por que você não esquece elas e faz algo para você?"
Depois de todo esse tempo ficando pra baixo e me sentindo horrível, aprendi que sempre haverá alguém que vai me deixar pra baixo, que vai dizer coisas horríveis sobre a minha aparência e mais um monte de palavras sem noção que terão por finalidade me atingir. Hoje dessas opiniões aproveito apenas as que irão me acrescenta algo, o resto faço o mais belo "ouvido de mercador". E assim sigo a minha vida com a mais bela autoestima e me amando do jeitinho que sou.

"Você tem que se amar."
E a mensagem que deixo aqui é: Ame-se! Ninguém pode fazer isso por você, a não ser você mesma. Ame seu corpo, ame a pessoa que você é e não mude para agradar ninguém, amor próprio em primeiro lugar. Certo?  

*Este post faz parte da Blogagem coletiva “A beleza de fugir dos padrões e ser feliz com suas escolhas” realizada pela Rê Vitrola para o Red Lips Day

You May Also Like

6 Comentários

  1. Que coisa linda! *_* Quando a gente aprende a se amar o mundo fica mais bonito e mais fácil de ser enfrentado. <33

    Seguindo o blog!
    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
  2. Tão bom quando a gente começa a não ligar pra comentários que só nos põe pra baixo né?! Amor próprio é tudo <3 Amei o texto

    www.heyflordeliz.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, quando a gente se aceita é muito fácil não ligar mais para a opinião alheia. rs obrigada!

      Excluir
  3. Acho que essa é uma das coisas mais libertadoras da vida. ❤ Que post inspirador!

    ResponderExcluir